Google
 
Web calcioseriea.blogspot.com

sábado, março 07, 2009

O Jogo Da TV (Parte III) - Torino x Juventus



Na temporada passada, vitória da Juventus por 1 x 0 com gol de Trezeguet aos 93' (vide http://calcioseriea.blogspot.com/2007/09/o-jogo-da-tv-parte-iv-torino-x-juventus.html) e, neste campeonato, no girone d'andata, nova vitória bianconera pelo placar mínimo, tento do brasileiro Amauri.
Portanto, não foi nada surpreendente o resultado do cotejo que fechou o sábado repleto di anticipi na Serie A.
Embora a primeira descida ao ataque tenha sido do Torino, foi a Juventus que começou mais incisiva, mesmo com o amplo turn-over promovido por Ranieri, que deixou os vários Marchionni, Nedved, Sissoko, Tiago, Del Piero e Trezeguet fora do 11 inicial.
Com Giovinco formando o meio de campo ao lado de Salihamidzic, Marchisio e Poulsen, a Juve teve a primeira chance concreta de gol logo aos 3', com Iaquinta (acima disputando a bola entre Natali e Corini - Reuters) tendo recebido uma belíssima assistência do Formica Atomica e exigindo bela defesa do arqueiro Sereni.
Mas o Toro, com um robusto meio de campo composto por Corini, Barone e Dzemaili, tendo Abate bem aberto pela direita e o habilidoso Rosina servindo o atacante Stellone, conseguiu equilibrar as ações e desperdiçou uma chance de ouro com o seu avante carequinha aos 6', quando Stellone cabeceou por cima do gol de Buffon praticamente da linha da pequena área.
Aí, apesar de tecnicamente inferior, o Torino passou a dominar as ações, explorando muito bem as descidas do lateral Pisano pela esquerda e os tiros de meia distância de Barone que, aos 18', ainda testou com grande perigo após cruzamento do terzino granata.
Ainda assim, apesar do domínio territorial do Torino (que terminou a partida com 58,20% de vantaggio territoriale), a grande chance do 1º tempo teve o timbre bianconero, com Sereni salvando, em cima da linha, uma potente cabeçada de Iaquinta aos 25'.
O ritmo do 2º tempo não foi o mesmo, com as equipes atuando de forma mais cadenciada e não conseguindo criar tantas oportunidades de gol, com o Torino tendo perdido, já aos 6', seu fantasista e jogador mais criativo Rosina.
Mas foi a entrada do tcheco Nedved (à esquerda - Ap), aos 68', que mudou a história de uma partida que caminhava para o empate sem gols.
Embora o baixinho Giovinco não viesse jogando mal, o biondo centrocampista deu maior dinamismo à Juve que, logo na primeira participação do tcheco, chegou com perigo com Salihamidzic, que acertou a trave depois de rebote proporcionado por Sereni em cabeçada de Chiellini.
E foi o próprio Chiellini o autor do gol decisivo da partida, ocorrido aos 36' em grande desatenção da defesa granata, que permitiu ao zagueiro azzurro completar de cabeça, totalmente livre, cobrança de falta de Nedved (ao lado a comemoração do zagueiro bianconero - Reuters).
O Toro, com Gasbarroni e Säumel nos postos de Barone e Corini, ainda tentou exercer um pressing no final, mas esbarrou no escasso feeling de seus atacantes com as redes adversárias.
O tabellino:
Torino: Sereni; Colombo, Natali, Dellafiore, Pisano; Abate, Barone (71' Gasbarroni), Corini (75' Säumel), Dzemaili; Rosina (51' Ventola), Stellone. All. Novellino.
Juventus: Buffon; Zebina (59' Ariaudo), Mellberg, Chiellini, Molinaro; Salihamidzic, Poulsen (84' Sissoko), Marchisio, Giovinco (68' Nedved); Amauri, Iaquinta. All. Ranieri.
Gol: 81' Chiellini.
Árbitro: Farina.
Cartões amarelos: Marchisio, Corini e Pisano.
A seguir, os highlights da partida!

video

Marcadores: , , , ,

Na Última Vez ...

O Jogo Da TV (Parte II) - Genoa x Internazionale



Implacável, cínica e ... rumo ao inédito tetracampeonato - esta é a Internazionale de Mourinho que, apenas 3 dias após cair implacavelmente diante da Sampdoria pela Copa Itália, venceu o Genoa no mesmo Marassi por 2 x 0 em jogo válido pela 27ª rodada da Serie A.
Com o sucesso, a Inter chegou a sua 10ª vitória in trasferta no campeonato, a 4ª consecutiva e, independentemente do resultado da Juventus no Derby della Mole, continua, pelo menos, com 7 pontos de dianteira da rival.
Só que, mais uma vez, não foi uma Beneamata entusiasmante - muito pelo contrário, pois foi o Genoa que dominou grande parte da partida, terminando com 58,3% da posse de bola e 58,88% de vantaggio territoriale (segundo estatísticas disponibilizadas pela Gazzetta dello Sport), com predominância também nas conclusões: 14 a 7 de acordo com o projeto Digitalsoccer da Panini.
Mas, imperiosa, a Inter, que atuou com sua camisa comemorativa do centenário e começou com Burdisso e Materazzi compondo a zaga, marcou logo aos 2' com Ibrahimovic (acima contra Bocchetti - Reuters), que recebeu um lançamento longo de Stankovic e, na saída de Rubinho, tocou, com sua habitual classe, por cima do goleiro brasileiro.
O tento relâmpago não abalou o attegiamento rossoblù, bastante agressivo a partir do 3-4-3 de Gasperini, que, porém, não tinha seu avante Milito em dia inspirado.
Se o argentino passou quase todo o jogo despercebido, o brasileiro Thiago Motta (à esquerda com Balotelli - Ap) não, protagonizando uma cabeçada sensacional aos 21', que só não resultou no empate do Grifone por conta da extraordinária intervenção do arqueiro Júlio César, que ali começou a construir a atuação que valeu o título de melhor em campo.
Nesse meio tempo, Mourinho, já sem Chivu e Samuel, perdeu Materazzi per un problema al flessore sinistro e, em seguida, ficaria também sem Burdisso, que saiu aos 31' dando lugar a Muntari, tendo que improvisar com Cordoba e o tuttofare Cambiasso no centro da defesa.
Mas, embora continuasse procurando o gol de empate, o Genoa continuou esbarrando em um ótimo Júlio César, que antes do intervalo protagonizou outra grande parata em conclusão do zagueiro Biava.
O 2º tempo não começou de forma muito diferente, com o time mandante pressionando enquanto a Inter procurava administrar a vantagem, diminuindo o ritmo e explorando il contropiede no melhor estilo Mourinho.
Ocorre que, Júlio César, não satisfeito de garantir na retaguarda, resolveu cobrar uma falta da sua intermediária em direção ao campo adversário, onde Ibrahimovic serviu de torre para Balotelli (à direita contra Criscito - Reuters) e o giovane attaccante entrou área adentro até que, diante de Rubinho, tocou para a meta - só que o chute não saiu muito forte e Rossi acabou salvando (?) em cima da linha - lance muito difícil que o árbitro Morganti acabou considerando como gol (este e os outros lances importantes da partida, assim como uma entrevista com Cambiasso, podem ser visualizados no vídeo ao final do post)..
Gasperini já havia trocado Jankovic por Palladino e em seguida inseriu Olivera no posto de Sculli e Mesto no de Bocchetti, mas o Genoa acabou foi perdendo o ímpeto e a partida encerrada mesmo com o placar apontando 2 x 0 para a capolista.
O tabellino:
Genoa: Rubinho; Biava, Ferrari, Bocchetti (72' Mesto); Rossi, Thiago Motta, Juric, Criscito; Sculli (66' Olivera), Milito, Jankovic (56' Palladino). All. Gasperini.
Inter: Júlio César; Maicon, Burdisso (31' Muntari), Materazzi (16' Cordoba), Santon; Zanetti, Cambiasso, Figo (72' Mancini), Stankovic; Balotelli, Ibrahimovic. All. Mourinho.
Gols: 2' Ibrahimovic, 61' Balotelli.
Árbitro: Morganti.
Cartões amarelos: Milito, Ibrahimovic, Thiago Motta, Biava, Ferrari, Balotelli e Mancini.

video

Marcadores: , , , ,

Na Última Vez ...

O Jogo Da TV (Parte I) - Roma x Udinese



Depois da belíssima atuação contra a Internazionale (vide 'Na Última Vez ...'), a Lupa Capitolina voltou a empatar, mas desta vez contra uma buona Udinese no Olimpico, em resultado que não foi bom para nenhuma das equipes.
Mas, considerando os vários desfalques giallorossi e o andamento da partida, com a expulsão de De Rossi e um evidente pênalti não marcado em jogada de Mexes, até que o ponto conquistado não foi de todo ruim para a Roma...
Disposta no 4-2-3-1 com Taddei, Brighi e Menez (à direita contra Zapata - Ap) no suporte de Júlio Baptista, postado como unica punta, a Roma não começou bem em um jogo que, a bem da verdade, demorou a engrenar, apesar da interessante Udinese postada no 4-3-3 com Pepe, Floro Flores e Di Natale suportados por D'Agostino, Inler e Asamoah.
Em uma 1ª etapa sem grandes emoções, o lance mais controvertido aconteceu aos 45', quando Mexes (já advertido com o cartão amarelo) interceptou um lançamento de Di Natale e, ao correr para afastar a bola da área romanista, usou claramente o braço para antecipar a chegada do suíço Inler, em un colpo di mano clamorosamente ignorado pelo árbitro Tagliavento (esse e os outros lances de destaque podem ser visualizados no vídeo ao final do post).
No 2º tempo, a Roma, sem a presença de seu treinador (e ex di turno) no banco de reservas (Spalletti, que completou 50 anos, cumpriu suspensão logo no dia do seu aniversário!), voltou com mais ímpeto (até porque Montella substituiu o chileno Pizarro pouco antes do intervalo), mas acabou sofrendo um gol quando Di Natale encontrou o brasileiro Felipe sozinho, dentro da pequena área, em jogada um tanto confusa que se originou do lado oposto (abaixo, a comemoração friulana em torno do zagueiro de Guaratinguetá - Ansa).
A Udinese jogava melhor, com De Rossi e Brighi non attivissime, mas a entrada de Vucinic aos 13', no lugar de um pouco produtivo Menez, mudou o rumo da partida, com o montenegrino construindo sozinho o gol de empate aos 16' (mais abaixo - Ansa - a conclusão vincente do atacante).
Aí, com o tento marcado logo em seu pior momento, a Roma deu a entender que poderia virar a partida, mas De Rossi atrapalhou os planos do time capitolino ao tolamente provocar sua expulsão em seguida, mais precisamente aos 22', reclamando de forma totalmente despropositada de uma falta clara cometida por Brighi em Inler.
Da partida sonolenta do 1º tempo nem mais traço, pois o cotejo terminou de forma entusiasmante, com ambas as equipes criando (e desperdiçando) ótimas oportunidades, seja com o colombiano Zapata, com o italiano Montella ou novamente com os marcadores Felipe e Vucinic.
O tabellino:
Roma: Doni; Motta (entrevistado no vídeo abaixo), Mexes, Panucci, Riise; De Rossi, Pizarro (43' Montella), Taddei, Brighi, Menez (58' Vucinic); Júlio Baptista (73' Cicinho). All. Spalletti (Domenichini in panchina).
Udinese: Handanovic; Zapata, Coda, Felipe, Pasquale; Inler, D'Agostino, Asamoah; Pepe, Floro Flores (85' Quagliarella), Di Natale (70' Sanchez). All. Marino.
Gols: 54' Felipe, 61' Vucinic.
Árbitro: Tagliavento.
Cartões amarelos: Di Natale, Mexes, Panucci, Pepe, Vucinic, D'Agostino e Sanchez.
Cartão vermelho: De Rossi.

video

Marcadores: , , , ,

Na Última Vez ...

Match Clou - 27ª Rodada 2008/2009



Se é verdade que para a torcida da Juventus o Derby della Mole não tem mais o mesmo significado de alguns anos atrás, para os tifosi granata a possibilidade de derrotar a poderosa arqui-rival é uma das poucas alegrias que ainda restam.
Portanto, atenção Juventus, até porque o Torino necessita desesperadamente de pontos para fugir da incômoda posição que ocupa na tabela - 16ª, apenas um mísero ponto a frente da zona da degola!
Para este, que será o 66º confronto válido pela Serie A com mando de campo do Torino, o allenatore granata deverá entregar a regia di centrocampo a um ex, o veterano Corini (à direita - Tanopress).
Sem poder contar com o squalificato Paolo Zanetti, Novellino deverá formar o restante do meio de campo com Dzemaili, Barone e o esterno Abate, que deverá jogar bem aberto pela direita.
No 4-4-2 preferido do treinador de Avellino, a defesa deve ser composta por Colombo, Natali, Dellafiore e Ogbonna, com o experiente Sereni sob a meta.
Já o ataque deve ter os prolíficos Stellone (abaixo - Tanopress) e Ventola, autores de substanciosos ... 3 gols na temporada!
Portanto, ainda que o ataque do Torino não seja um dos melhores da competição, causa alguma surpresa a presença do fantasista Rosina e do cannoniere Bianchi no banco.
Na Juventus, afora os desfalques de Camoranesi, De Ceglie e Grygera, além do suspenso Legrottaglie e dos convalescentes de longa data Jorge Andrade e Cristiano Zanetti, Ranieri deverá poupar alguns titulares, dentre os quais o capitano Del Piero, com vistas ao decisivo confronto contra o Chelsea pela Champions League.
Assim, a Vecchia Signora deve começar com Buffon no gol; Zebina, Mellberg, Chiellini e Molinaro na defesa; Marchionni, Sissoko, Marchisio e Nedved no centrocampo; Trezeguet (mais abaixo - Tanopress) e Iaquinta no ataque.
Reflexo do mau momento vivenciado pelo Torino nas últimas décadas, é da Juventus a vantagem histórica do confronto, mesmo com mando de campo granata, que tem 18 vitórias contra 24 da Juve, ao que vão somados 23 empates.
No número de gols, predomínio também bianconero, que marcou 87 vezes e sofreu apenas 72 gols.
A decadência do Toro fica ainda mais evidente quando verificado que a equipe não derrota a Juventus no Derby della Mole desde a temporada 1994/1995, quando o placar final de 3 x 2 foi todo construído no 1º tempo: Rizzitelli (T) aos 6' e aos 30', Vialli (J) aos 8' e aos 33' e Angloma (T), aos 38', marcaram os gols.
Naquele 25 de janeiro de 1995, o Torino de Sonetti (atual treinador do Brescia) entrou em campo com: Pastine; Maltagliati, Falcone, Luca Pellegrini e Sogliano; Angloma, Pelé, Cristallini e Pessotto; Rizzitelli e Silenzi.
De lá para cá, com as idas e vindas de ambas as equipes à Serie B, apenas 2 empates e 3 vitórias da Juventus, como na última temporada, quando Trezeguet marcou no finalzinho (vide http://calcioseriea.blogspot.com/2007/09/o-jogo-da-tv-parte-iv-torino-x-juventus.html).
Motivo de orgulho para os tifosi granata é ainda o fato de que o Paolino Pupi Pulici é o maior marcador do confronto, tendo anotado 7 gols na Juventus entre 1970 e 1977, inclusive uma doppietta no sucesso por 3 x 2 de 30 de março de 1975, quando Bettega, Capello e Zacarelli firmaram os outros tentos do embate.
Já a Juventus tem no saudoso Gaetano Scirea (à esquerda - Guerin Sportivo) o jogador que mais atuou no confronto, totalizando 12 aparições entre o 30 de março de 1975 e o 13 de outubro de 1985, quando teve a infelicidade de anotar, contra, o tento granata na vitória bianconera por 2 x 1, com Serena e Platini marcando para a equipe treinada por Trapattoni.

Marcadores: , , , ,

Na Última Vez ...

L'Enigma - Le Scomesse


Parece que a má fase (crônica) do Torino influenciou até os leitores do Calcio Serie A, pois apenas o António, com direito a uma ponta de sarcasmo (2-1 para o Torino e Juventus fora do título), escolheu um placar favorável ao time treinado por Novellino nesta etapa do III Desafio Calcio Serie A.
Aliás, eis a relação completa dos placares apontados pelos leitores do Calcio Serie A, sendo que, como o mando de campo é granata, sempre o Torino primeiramente: 0 x 1 - JP; 1 x 1 - Cyntia; 0 x 2 - Leonardo Mafra (e também o nosso amigo MP, mais conhecido como o paizão da Laura e da Beatriz); 1 x 2 - Michel Costa; 2 x 1 - António; 2 x 2 - Raphael Zerlottini; 0 x 3 - Lucas e 1 x 3 - Tiago.
Bem, se retrospecto contar, congratulações antecipadas ao JP, já que na temporada passada, com um gol de Trezeguet no finalzinho, a Juventus levou a melhor sobre o Torino (na foto acima, os ex Palladino e Lanna contendem a bola - La Presse), que não vence a rival desde a temporada 1994/1995...

Marcadores:

Na Última Vez ...

sexta-feira, março 06, 2009

Rodada promete grandes duelos


A 27ª rodada da Serie A 2008/2009, que será disputada no próximo final de semana, reserva grandes emoções desde sábado, quando, excepcionalmente, serão disputados não dois, mas três cotejos, exatamente com aquelas equipes italianas ainda envolvidas na Uefa Champions League, que terá seus embates decisivos das 8ªs de final nas próximas terça e quarta-feiras.
Assim, já às 12h00 de sábado, com transmissão da ESPN, da SporTV, da RAI e da TV Esporte Interativo, a bola rola pela Serie A com Roma x Udinese, oportunidade na qual a defesa giallorossa, provavelmente sem Juan, terá que fazer frente ao perigoso ataque bianconero, que deverá ser composto por Pepe (ao lado - PA Photos), Floro Flores e Di Natale.
Depois de um brevíssimo intervalo, olho na ESPN ou na RAI, que televisionarão Genoa x Internazionale a partir das 14h00.
O confronto promete ser entusiasmante, pois escaldado com a derrota de 3 x 0 frente a Sampdoria pela Copa Itália na última quarta-feira (vide http://calcioseriea.blogspot.com/2009/03/e-na-copa.html), o allenatore nerazzurro Mourinho não deve dar folga a seus titulares, lançando o tandem Ibrahimovic-Adriano no ataque, ao que Gasperini promete responder com seu artilheiro Milito acompanhado dos rápidos Mesto e Jankovic no seu 3-4-3 habitual.
Por fim, com início às 16h30 (sempre horário de Brasília), acontecerá o 'Match Clou' Torino x Juventus, que terá cobertura da ESPN Brasil, RAI e TV Esporte Interativo.
No domingo, mais futebol de qualidade começando às 11h00 com Milan x Atalanta na TV Bandeirantes, ESPN Brasil e SporTV, ou Napoli x Lazio, na RAI.
Para facilitar a escolha, no San Siro, sem Kaká e Ronaldinho, Ancelotti deve distribuir a equipe no 4-3-1-2, com Beckham, Pirlo, Flamini (à esquerda - PA Photos) e Seedorf no meio de campo e Inzaghi fazendo companhia a Pato no ataque, enquanto o confronto do San Paolo deve opor, frente-a-frente, os habilidosos argentinos Lavezzi (que deverá ter a companhia de seu connazionale Denis na frente) e Zárate (com Pandev como parceiro de reparto).
Complicado? Então basta assistir Napoli x Lazio em video-tape às 16h00 na ESPN Brasil!

quinta-feira, março 05, 2009

E Na Copa ...


Nesta semana aconteceu il primo atto delle semifinali da Copa Itália e quem se deu melhor foram, ao menos teoricamente, os azarões dos confrontos.
Na terça-feira, a Lazio recebeu a Juventus no Olimpico de Roma em uma partida que foi bastante divertente, com os bianconeri melhor na 1ª etapa e os laziali na 2ª, quando conseguiram reverter o placar inaugurado pelo ala Marchionni aos 34' do 1º tempo, em lance em que o desvio em Kolarov foi fatal para o goleiro biancoceleste Muslera.
Mas, se na 1ª etapa o destaque juventino foi o atacante Iaquinta, que chegou até a anotar um gol anulado por impedimento pelo árbitro Tagliavento aos 18', no 2º tempo o arqueiro Manninger foi o grande protagonista do time comandado por Ranieri, que sofreu forte pressão da Lazio.
O time capitolino já vinha exercendo um agressivo pressing quando, aos 9', Rossi trocou Manfredini por Mauri, colocando a equipe em um posicionamento ainda mais ofensivo.
Aí, não foi nada surpreendente o empate da Lazio aos 20', com Pandev, capocannoniere della competizione, marcando seu 6º gol (acima a conclusão do macedônio - Ap) no torneio.
O empate claramente não satisfazia os comandados de Delio Rossi, que continuaram martelando a defesa juventina, com Manninger se exaltando com grandes defesas e, naquela bola onde o portiere austríaco não chegou, a trave ocupou de impedir o gol de Foggia, scatenato pela ala direita.
Mas a persistência laziale acabou dando frutos aos 33', quando Rocchi (ao lado contra Sissoko - Ap) ganhou de Chiellini e tocou na saída de Manninger para concretizar a virada dos donos da casa.
De qualquer maneira, o resultado final de 2 x 1 deixa a classificação totalmente em aberto para o jogo de volta, que ocorrerá em Turim no dia 22 de abril próximo.
Na quarta-feira, o confronto prometia ser menos equilibrado - e foi mesmo, mas não exatamente como esperado...
Afinal, de um lado estava a poderosa Internazionale, líder da Serie A com 60 pontos, enquanto do outro a Sampdoria, apenas 14ª colocada com parcos 32 pontos.
Mas o time blucerchiato tinha a dupla Cassano-Pazzini e, de forma totalmente surpreendente, fez 3 x 0 apenas no 1º tempo!
Se servir como atenuante, a Inter pareceu mais preocupada com o próximo confronto contra o Manchester United - talvez o jogo mais importante da temporada nerazzurra, mas, independente de qualquer coisa, foi uma verdadeira lição aplicada por uma Samp bem ajeitada, que explorou muito bem as laterais do campo e a genialidade de Cassano, que abriu o marcador logo aos 9' após uma falha terrível do colombiano Rivas.
Depois, aproveitando de uma defesa interista que continuou troppo generosa, Pazzini realizou uma doppietta personale aos 30' e 42' (acima o seu 1º gol - Ap), praticamente assegurando a surpreendente Samp (salvo um tremendo colpo di scena) na final da Coppa Italia 2008/2009.

Marcadores:

Na Última Vez ...

quarta-feira, março 04, 2009

L'Enigma


Atenção! O jogo escolhido para mexer com a imaginação dos leitores do Calcio Serie A nesta semana ocorrerá no sábado e não no domingo.
Mas, também, o jogo não é um qualquer, pois Torino x Juventus, conhecido como o Derby della Mole, é um dos cotejos que encerram maior rivalidade em toda a Itália, com sua origem remontando a 1907, quando a equipe granata venceu a bianconera por 2 x 1 em 13 de janeiro.
Já na última vez que se encontraram, com mando de campo do Toro pelo campeonato italiano, vitória in extremis da Juve por 1 x 0, (vide http://calcioseriea.blogspot.com/2007/09/o-jogo-da-tv-parte-iv-torino-x-juventus.html), tento de Trezeguet (na foto acima, Nedved e Comotto allo sprint - Afp).
Aberto o período de palpites, vamos participar!

Marcadores:

Na Última Vez ...

terça-feira, março 03, 2009

Momento Panini - Christian Abbiati


Na atual temporada, um dos poucos que tem algo a comemorar dentro do elenco rossonero é o goleiro Christian Abbiati, que, em sua oitava temporada em Milanello, finalmente não vem sendo posto em discussão.
Nascido aos 8 de julho de 1977 em Abbiategrasso, na bacia do rio Po, na província de Milão, filho único de due portieri - Rosi e Luigi (portiere no sentido de portinaio, ou seja, o profissional que no Brasil é comumente chamado de porteiro), Abbiati começou no futebol muito cedo, precisamente aos 11 anos, defendendo o Aurora, time dell'oratorio San Giovanni Bosco.
E, por ser o mais alto do grupo, aquele garoto tifoso da Internazionale por influência paterna e fã incondicional de Walter Zenga, acabou no gol...
Em 1990, Christian saiu de sua cidade natal e, depois de peregrinar por Trezzano e Assago, chegou a sua prima vera squadra, o Corsico, equipe que milita no Eccellenza e onde conheceu seu até hoje melhor amigo, o ex-lateral Francesco Coco.
Então, ao final de uma partida em que defendeu 2 pênaltis, o jovem goleiro foi procurado por dirigentes do Milan que estavam nas arquibancadas, mas já era tarde: Abbiati havia acertado com o Monza!
Na equipe rossobianca, Abbiati fez sua estréia na Serie C1 em 30 de dezembro de 1994 antes de ser mandado ao Borgosesia, nel campionato Dilettanti, para ganhar experiência.
Obrigado a acordar às 04h00 e trabalhar em uma panificadora antes de ir treinar na hora do almoço, Abbiati logo conquistou o posto de titular na equipe e anche la maglia della Nazionale Dilettanti, seguida daquela da Nazionale Militare e da Under 20 di Serie C.
De volta ao Monza em 1996, L'amico Delle Nuvole como carinhosamente apelidado pelo telecronista Carlo Pellegatti, sofreu apenas 17 gols em 25 partidas e terminou o ano promovido à Serie B, onde estreou na temporada 1997/1998.
Contratado pela poderosa società de Via Turati, Abbiati se apresentou ao Milan em julho de 1998 para ser o 3º goleiro dopo Sebastiano Rossi e Jens Lehmann.
Porém, a vida daria uma rápida reviravolta e, depois da saída do deludente alemão, aquele jovem goleiro que treinava como atacante poichè tutte le porte sono occupate, acabou fazendo sua estréia na Serie A em 17 de janeiro de 1999 na partida Milan x Perugia, depois da expulsão do titular Rossi, entrando no lugar de Weah aos 92' após inclusive seus pais terem deixado o estádio de San Siro!
Porém, os pais do giovane portiere, então já integrante da Under 21 treinada por Tardelli, não tiveram que esperar muito, vez que Abbiati foi, naquele momento, titularizado na meta rossonera, terminando a stagione 1998/1999 com 18 presenças e o scudetto no peito (a figurinha do alto é da temporada seguinte, 1999/2000).
Confirmado como titular da meta rossonera para o campeonato em seqüência e merecedor de rasgados elogios de Berlusconi, Abbiati fez sua estréia na Champions League contra o Chelsea em setembro de 1999 e chegou à seleção italiana principal, convocado por Dino Zoff após conquistar o Europeo com a U21, para substituir o lesionado Gigi Buffon na Euro 2000.
Depois de participar, como titular, das Olímpiadas de Sydney e de ter começado muito bem a temporada 2000/2001 da Serie A, Abbiati terminou o campeonato novamente como reserva de Rossi, condicionado por uma lesão que o deixou afastado dos gramados por algumas semanas.
Na temporada seguinte, com o turco Terim sulla panchina milanista, Abbiati reconquistou o posto de titular, que manteve com a chegada de Ancelotti em novembro de 2001.
Em abril de 2002, o goleiro de 1,91 m e 92 kg realizou sua 100ª partida com o Milan na Serie A e recebeu uma placa comemorativa das mãos de Galliani e subscrita por Berlusconi, mas, após participar da Copa do Mundo de 2002 como 3º goleiro da Azzurra, se machucou na prima partita stagionale contra o Slovan Liberec pela Champions League e acabou abrindo espaço para a explosão de Dida, que assumiu o posto de titular do Milan.
Em 2005, cansado de fazer às vezes de reserva do goleiro brasileiro, Abbiati foi cedido ao Genoa, mas o clube rossoblù acabou rebaixado à Serie C1 e Christian retornou ao Milan, de onde foi emprestado à Juventus para, mais uma vez, substituir Buffon, gravemente lesionado após um choque com Kaká durante o Trofeo Berlusconi.
Na Juve, Abbiati foi titular durante 6 meses, período em que sofreu apenas 9 gols em 19 partidas, sendo importante para a conquista do título posteriormente assegnato à Inter.
Na temporada seguinte, Abbiati foi mais uma vez emprestado pelo Milan, desta vez ao Torino e, na subseqüente, ao Atlético de Madrid, onde começou como reserva de Leo Franco e depois conquistou o posto de titular e uma vaga na Champions League.
De volta ao Milan em maio de 2008, inicialmente cotado para ser 3º goleiro atrás de Dida e Kalac, Abbiati logo ganhou a posição de titular e, não obstante a desconfiança de boa parte da torcida e até da imprensa especializada, tem se mostrado um dos poucos pontos positivos da temporada rossonera (um pouco mais acima a figurinha do campeonato in corso, extraída do álbum Calciatori 2008-09, que faz sua estréia no Calcio Serie A!).
Mas, se em termos esportivos Abbiati vai muito bem, polêmico, resolveu por fogo ao admitir, em recente entrevista ao tradicional jornal La Gazzetta dello Sport, ser favorável a alguns princípios do fascismo, "como a pátria, a ordem social e o respeito à religião católica", embora tenha ressaltado não concordar "com seus erros, com a aliança com Hitler, as leis raciais e a entrada na guerra".

Marcadores:

Na Última Vez ...

segunda-feira, março 02, 2009

'B' Em Pílulas


* O principal cotejo da 28ª giornata da Serie B 2008/2009 terminou como começou - Livorno e Empoli ficaram no 0 x 0 no derby toscano (na foto abaixo, Tavano persegue Buscè - Empoli);
* Com o resultado, o clube amaranto manteve a liderança da competição, com 50 pontos, enquanto o Empoli está apenas no meio da tabela, em 8º com 41 punti;
* Porém, o time treinado por Leonardo Arcori tem agora a companhia do Bari de Antonio Conte, que venceu o Mantova dos vários Sacchetti, D'Aversa e Locatelli por 2 x 0 no Danilo Martelli, gols de Guberti e Parisi (que também marcaram os gols da equipe barese na rodada anterior), ambos na 1ª etapa;
* A 3ª colocação é do surpreendente Sassuolo, que venceu o Treviso, fora de casa, por 3 x 2;
* A partida marcou a estréia como allenatore do antigo atacante argentino Abel Balbo, que começa com a difícil missão de tirar o Treviso da última colocação da Serie B;
* Melhor final de semana teve o veterano Sonetti, cujo Brescia venceu o Frosinone, também fora de casa, por fáceis 3 x 0, doppietta de Caracciolo (que chegou aos 10 na temporada) e tento do ex romanista Okaka;
* O 4º lugar é do Parma, que empatou em 2 x 2 com o Modena, tentos de Bruno (M), Mariga (P), Pinardi (M) e Cristiano Lucarelli (P), que soma agora 11 tentos na graduatória de artilheiros;
* Quem entrou na disputa por uma das vagas para a próxima Serie A é a Triestina, que fez 1 x 0 no Pisa, gol de Luigi Della Rocca logo no começo da partida.

Marcadores:

Na Última Vez ...

Panorama Da Rodada


Não foi uma rodada muito positiva para os times de Milão, com a capolista Internazionale arrancando apenas um sofrido, mas sensacional, empate em 3 x 3 com a Roma (http://calcioseriea.blogspot.com/2009/03/o-jogo-da-tv-parte-iv-internazionale-x.html), enquanto o Milan efetivamente decepcionou perdendo por 2 x 1 para a Sampdoria (http://calcioseriea.blogspot.com/2009/03/o-jogo-da-tv-parte-iii-sampdoria-x.html).
Agora, convincente mesmo foi a atuação do Catania, que fez 4 x 0 no derby siciliano como visitante, impondo uma verdedeira lezione de tática aos cugini.
É verdade que a equipe treinada por Ballardini sofreu com a expulsão precoce (mas merecida) do australiano Bresciano aos 16' do 1º tempo, mas os comandados de Zenga tiveram uma atuação taticamente perfeita, controlando as ações no centrocampo.
No final, embora o arqueiro etneo Bizzarri tenha sido apontado por muitos como o melhor em campo, Ledesma, Morimoto e Paolucci fizeram gols em um placar que foi completado por Mascarinho (na foto do alto sua comemoração - Grazia Neri), que realizou um tento de antologia pouco depois da linha divisória do campo (é possível assistir a essa verdadeira obra de arte no vídeo ao final do post).
Vitória externa (e surpreendente) também para o Chievo, que superou uma Atalanta com vários desfalques e in debito d'ossigeno por 2 x 0, com destaque para o ex di turno Langella, que anotou pessoalmente um dos gols (abaixo sua gioia - Cerescioli) e sofreu o pênalti convertido no finalzinho por Pellissier.
Se a equipe clivense somou 3 pontos importantes em sua luta contra o descenso, o Torino de Novellino chegou ao seu 6º empate em 7 partidas ao ficar no 0 x 0 com o Cagliari em partida na qual os sardi tiveram as melhores oportunidades, mas esbarraram em um atento Sereni.
Outra partida que registrou empate sem gols foi Siena x Genoa, em un pari che fotografa l'equilibrio in campo, embora o time de Gênova possa reclamar uma bola na trave com Palladino e um gol anulado de Milito per un fuorigioco che non c'era.
Outro empate, mas com gols, se viu no Oreste Granillo, onde a Reggina largou na frente com um belo gol de Sestu (seu 1º na Serie A), mas sofreu o empate logo em seguida, quando o veterano (e aspirante a ator pornô!) Cirillo falhou clamorosamente e permitiu que o avante Bonazzoli (em seu 1º gol com a maglia viola) desse números finais ao cotejo, que teve no goleiro Frey seu grande destaque.
Melhor foi a Udinese, que, na esteira do sucesso na Europa, venceu o agora penúltimo Lecce por 2 x 0 (ao lado, duelo de Caserta com o suíço Inler - La Presse), gols de D'Agostino cobrando falta e do lateral Pasquale, em falha do goleiro Benussi.
Completaram a rodada os duelos de sábado: Lazio 2 x 0 Bologna e Juventus 1 x 0 Napoli, acompanhados pela 'O Jogo Da TV'.
A classificação da Serie A, transcorridas 26 rodadas, está assim: 1º Internazionale (60 pts); 2º Juventus (53); 3º Milan (48); 4º Fiorentina (46); 5º Genoa (45); 6º Roma (44); 7º Cagliari (38); 8º Lazio (38); 9º Atalanta (36); 10º Palermo (36); 11º Napoli (35); 12º Udinese (34); 13º Catania (33); 14º Sampdoria (32); 15º Siena (28); 16º Torino (24); 17º Bologna (23); 18º Chievo (23); 19º Lecce (22) e 20º Reggina (18).
Já a artilharia do Calcio tem Di Vaio (Bologna) com 16 gols, seguido de Gilardino (Fiorentina) e Milito (Genoa) com 15, Ibrahimovic (Inter) com 14, Amauri (Juventus), Di Natale (Udinese), Mutu (Fiorentina) e Pato (Milan) com 12.

video

Marcadores: , ,

Na Última Vez ...

domingo, março 01, 2009

O Jogo Da TV (Parte IV) - Internazionale x Roma



O 'Match Clou' desta 26ª rodada, entre Inter e Roma, foi um clássico a altura de suas melhores tradições, terminando com o pazzesco placar de 3 x 3.
Embora jogando em seu estádio e tendo 16 pontos de vantagem sobre sua adversária e principal rival nas últimas temporadas, foi a Inter que correu sério risco de sair derrotada de campo, mas, graças aos 3 gols realizados no 2º tempo, alcançou o empate que, muito mais do que 1 ponto, vem somar moral em sua caminhada rumo ao inédito tetracampeonato.
Mesmo sem Totti (problema no joelho) e Ibrahimovic (piccolo problema muscolare), a peleja começou de forma entusiasmante, com Júlio Baptista exigindo defesa de seu connazionale Júlio César logo aos 2', em cobrança de falta que o arqueiro brasileiro jogou para escanteio.
A Roma, distribuída em um 4-2-3-1 forçado (por causa de 7 desfalques) de Spalletti com Vucinic alle spalle de La Bestia, continuou mais incisiva e aos 6', aproveitando uma bola mal afastada em jogada do montenegrino, Brighi disparou um tiro de posição central que acabou passando ao lado do gol defendido por Júlio César.
A Inter, então, até que tentou responder de forma mais concreta, mas a conclusão de Maxwell, aos 13', teve o mesmo fim que a do centrocampista romanista.
Partida bastante movimentada, com a Inter de Mourinho encontrando dificuldades para interpretar o esquema proposto por Spalletti, teve seu primeiro gol aos 23', quando Motta fez grande jogada pela esquerda, se livrou de Santon com um belo corte e cruzou para a cabeçada certeira de De Rossi, que subiu entre Burdisso e Zanetti para testar de forma inalcançável para Júlio Cesarone.
O gol deixou a Inter ainda mais atordoada e, aos 30', o norueguês Riise acreditou em uma bola meio despretensiosa e, vencendo Maicon na corrida, colocou entre Júlio César e a trave em uma saída não perfeita do arqueiro brasileiro para fazer 2 x 0 (na foto mais acima o momento da conclusão do antigo lateral do Liverpool - Grazia Neri)!
Antes do final do 1º tempo desastroso para os nerazzurri, Vucinic quase ampliou aos 33', mas o argentino Burdisso chegou a tempo de evitar a conclusão do giallorosso.
Com Figo e Vieira nos lugares de Burdisso e Maxwell, a 2ª etapa mal havia começado e Balotelli resolveu deixar a partida mais interessante, colocando no canto de Doni (acima seu tiro - Garofalo) após receber passe de um generoso Adriano.
Mas ainda não era o momento dos tifosi nerazzurri comemorarem, pois logo em seguida a Roma contra-atacou e Brighi, aproveitando um corta-luz involuntário de Júlio Baptista, desta vez desferiu um tiro inapelável no canto de Júlio César - Lupa 3 x 1!
Partita finità? Que nada, o árbitro Rizzoli foi generoso e anotou pênalti de De Rossi em Balotelli, que o próprio atacante palermitano converteu aos 18', saindo para comemorar com o gesto de tutti zitti para a torcida giallorossa, o que rendeu acalorados protestos de Panucci, de volta à zaga romanista depois de algumas rodadas.
Mas o embate poderia ter sido arquivado se Vucinic (ao lado contra Maxwell e Cambiasso - La Presse) não tivesse desperdiçado uma enfiada perfeita de Pizarro, praticamente recuando de cabeça para Júlio César aos 21'.
Aí, Mourinho lançou sua última cartada colocando Crespo no lugar de Stankovic (troca de ex laziali) aos 32', com Valdanito, logo em sua 1ª jogada, aproveitando cruzamento de Figo para realizar, como em seus tempi d'oro, o gol do 3 x 3 (na foto abaixo a cabeçada certeira do argentino - Garofalo)!
Motivadíssima, a Inter passou a acreditar na possibilidade de chegar a vitória, mas foi a surpreendida Roma que teve chance, mais uma vez, de vencer, com Riise e, sopratutto, De Rossi, desperdiçando boas oportunidades.
O 3 x 3 estava de bom tamanho...
Tabellino (com direito a highlights):
Inter: Júlio César; Maicon, Burdisso (46' Figo), Cordoba, Santon; Zanetti, Cambiasso, Maxwell (46' Vieira), Stankovic (77' Crespo); Balotelli, Adriano. All. Mourinho.
Roma: Doni; Motta, Mexes, Panucci, Riise; De Rossi, Pizarro, Taddei, Brighi, Vucinic (75' Menez); Júlio Baptista. All. Spalletti.
Gols: 23' De Rossi, 30' Riise, 50' Balotelli, 56' Brighi, 63' Balotelli (pênalti), 79' Crespo.
Árbitro: Rizzoli.
Cartões amarelos: Zanetti, Pizarro, De Rossi, Stankovic, Riise e Vieira.

video

Marcadores: , , , ,

Na Última Vez ...

O Jogo Da TV (Parte III) - Sampdoria x Milan



No duelo entre duas equipes que foram alijadas da Coppa Uefa no meio da semana, melhor para aquela que tinha menor pretensão na competição européia e, portanto, pareceu ter absorvido melhor a eliminação.
Também, foi um arremedo rossonero, sem Kaladze, Nesta, Ambrosini, Gattuso, Kaká, Ronaldinho e Borriello, com a defesa composta por Antonini, Bonera, Senderos e Zambrotta e tendo apenas o jovem Pato isolado na frente.
Aliás, o Milan até que não teve uma atuação desastrosa, chegando mesmo a terminar a partida com impressionantes 67,2% de posse de bola e tendo realizado mais do que o dobro de jogadas da Sampdoria (498 contra 243), mas, em especial no 1º tempo, o jogo rossonero não fluiu (apesar do time de Milanello já ter controlado por mais tempo a bola), com Pato sentindo muito a falta de um partner e totalmente anulado pela dupla Lucchini-Accardi.
Aí, a Sampdoria, bem distribuída com 5 homens no meio de campo, aproveitou e, explorando muito bem as laterais do campo per poi concentrare il gioco su Pazzini e Cassano, abriu o marcador aos 33' com seu principal astro (ao lado contra Flamini e Accardi - Daylife), que aproveitou uma sponda de Raggi em uma cobrança de escanteio e grande desatenção da defesa milanista para fazer 1 x 0.
O time comandado por Ancelotti até que não se abateu com o gol sofrido, mas continuou cometendo os mesmos equívocos, indo para o intervalo em desvantagem no marcador.
Para o 2º tempo, com Inzaghi (ao lado contra Lucchini - Ap) no posto de Antonini e Zambrotta trocando a lateral esquerda pela direita, com Jankulovski retornando à sua posição original, o Milan passou para o 4-3-1-2 disposto a pressionar a equipe blucerchiata.
Porém, os Galliani's Boys não esperavam era que Peter Pan Cassano aprontasse mais uma e, com uma enfiada genial, colocasse Pazzini em condições de finalizar, com o renascido atacante ex viola dando um estupendo corte em Bonera antes de fuzilar Abbiati (abaixo a conclusão vincente - Reuters) para realizar seu 5º gol nas últimas 5 rodadas da Serie A logo aos 6'.
O Milan foi imediatamente k.o. e até o futebol sempre regular de Beckham definhou, com o inglês sendo substituído por Emerson na metade da 2ª etapa.
Mas, quando os rossoneri pareciam totalmente entregues, eis que Favalli avançou pela extremidade esquerda e cruzou para Pato, esquecido pela zaga blucerchiata, cabecear no canto do gol defendido por Castellazzi.
Ai o jogo repentinamente esquentou e o Milan, orgulhosamente partindo para cima, quase alcançou seu objetivo transcorridos apenas 2' do dodicesimo gol de Pato, quando Emerson completou para o fundo das redes cobrança de falta de Pirlo, gol que acabou invalidado pelo árbitro Rocchi por indicação de impedimento milimétrico.
Aproveitando do nítido cansaço da Samp, o Milan buscou o empate até o fim dos 6' de acréscimos, mas o pareggio seria injusto diante da atuação blucerchiata, que conquistou 3 pontos importantíssimos em sua campanha até aqui deficitária.
O tabellino:
Sampdoria: Castellazzi; Raggi (71' Gastaldello), Lucchini, Accardi; Stankevicius (84' Padalino), Sammarco, Palombo, Franceschini, Pieri; Pazzini, Cassano (87' Marilungo). All. Mazzarri.
Milan: Abbiati; Antonini (46' Inzaghi), Bonera, Senderos, Zambrotta; Beckham (68' Emerson), Flamini, Pirlo, Jankulovski (55' Favalli), Seedorf; Pato. All. Ancelotti.
Gols: 33' Cassano, 51' Pazzini, 80' Pato.
Árbitro: Rocchi.
Cartões amarelos: Franceschini, Abbiati, Palombo, Pirlo, Senderos, Favalli, Raggi, Flamini e Padalino.
Abaixo, síntese da partida:

video

Marcadores: , , , ,

Na Última Vez ...
eXTReMe Tracker