Google
 
Web calcioseriea.blogspot.com

terça-feira, janeiro 26, 2010

Momento Panini - Martin Jorgensen


Desejoso de ir à sua 3ª Copa do Mundo, o danese Martin Jorgensen está, nestes dias, meditando deixar a Itália depois de 13 temporadas para retornar à Dinamarca.
Titular da Dinamite Dinamarquesa nos torneios disputados em 1998 (quando, inclusive, marcou o gol que abriu o placar contra o Brasil nas 4ªs de final) e 2002, Jorgensen vem sendo utilizado apenas part-time por Prandelli, perdendo espaço também com o træner da fodboldlandshold Martin Olsen, a ponto de correr o concreto risco de ficar de fora da Copa do Mundo da África do Sul.
Assim, depois de 335 partidas e 44 gols pela Serie A, esse polivalente jogador pode trocar nos próximos dias o Calcio pela SAS Ligaen, onde acredita poderá jogar com mais continuidade.
Porém, profissional na mais plena acepção do termo, Jorgensen já deixou claro que, apesar do desejo de retornar à Dinamarca, "sta ai viola decidire quando, ora o in estate".
Nascido aos 6 de outubro de 1975 em Ørsted, Jorgensen começou sua carreira no Midtdjurs, mas ainda muito jovem (em 1988) passou ao AGF de Aarhus, clube com o qual fez sua estréia na superligaen em maio de 1994, na vitória sobre o Silkeborg por 1 x 0.
Tendo freqüentado todas as categorias de base do selecionado dinamarquês e eleito o Mælkens talentpriser (melhor U 21 danese) em 1996, Jorgensen acabou chamando a atenção dos dirigentes da Udinese, que o levaram para a Itália em abril de 1997.
No Friuli, ao lado do seu compatriota Helveg, até hoje seu melhor amigo, o jovem Jorgensen logo conseguiu um posto no time titular, participando de 21 das 34 partidas da Udinese terza colocada no campeonato 1997/1998.
Originalmente centrocampista di fascia, Jorgensen é um daqueles jogadores que todo treinador gosta de contar, tanto que, em sua carreira, atuou também com desenvoltura como lateral e atacante.
Na Udinese (a figurinha acima é da temporada 1998/1999), Il Principe di Danimarca ficou por 7 temporadas, chegando a realizar 7 gols no campeonato 1999/2000, até se transferir a Fiorentina para a stagione 2004/2005.
O time viola vinha de uma promoção conseguida in extremis (play-off contra o Perugia) e, com vários jogadores de categoria inferior e três treinadores, sofreu para permanecer na Serie A, com Jorgensen não conseguindo reeditar as boas atuações do período bianconero.
Como a Fiorentina havia, em uma operação tipicamente italiana, adquirido apenas metade do passe de Jorgensen, a sociedade de Firenze, ao final do campeonato 2004/2005, foi disputar com a de Udine l'altra metà del cartellino del calciatore alle buste e - surpresa - nenhuma delas ofereceu um mísero euro pela outra metade do nazionale danese!
Segundo as regras vigentes, então o inteiro cartellino de Jorgensen passou a pertencer a Fiorentina, que viu o dinamarquês voltar a jogar bem já no torneio seguinte, quando marcou 7 gols e ajudou a equipe a chegar, dentro de campo, no 4º posto (depois, devido ao Calciopoli, a Fiorentina caiu para a 9ª colocação).
Jogador muito constante, Jorgensen (a figurinha acima, à esquerda, é da temporada 2008/2009) acabou se tornando um degli idoli dei tifosi viola e, recentemente, com a saída de Dainelli para o Genoa, foi promovido a capitão pelo técnico Prandelli.
Na seleção dinamarquesa, esse apaixonado por carros antigos e que, curiosamente, usa chuteiras de números diferentes em cada pé (39 no esquerdo e 40 no direito), coleciona 92 presenças (é o 6º jogador que mais atuou pelo selecionado) e ainda participou das Eurocopas de 2000 e 2004, querendo, agora, alcançar o seu atual mister, que vem logo acima com 102 aparições.
Quem sabe, assistindo a participação do Principe di Danimarca contra o Brasil em 1998 (vídeo abaixo, um especial do Gol, O Grande Momento do Futebol), o antigo zagueiro do Anderlecht não se convence a levar Jorgensen a mais uma Copa?

Marcadores:

Na Última Vez ...

4 Comments:

At 1:32 PM, Blogger Hugo Ribeiro said...

Caro Rodolfo,
O Martin Jorgensen tem uma carreira bastante constante no futebol italiano, e dentro dos stanieri da Lega Calcio é dos mais antigos. E isso no Calcio é sinómino pelo menos versatilidade e garra. Sempre é melhor que ser Bidone!!

Abraço

Hugo

 
At 5:07 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

Hugo,
Realmente, Jorgensen é um dos jogadores mais regulares que passaram pela Serie A nos últimos anos, uma das razões de sua longevidade, sem dúvida!
Abraços,

 
At 10:28 AM, Blogger Gustavo Antonio said...

Craque...mais nada!

 
At 7:41 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

Gustavo,
Muito obrigado pela participação! Fique à vontade para criticar, sugerir, perguntar, ..., sempre que tiver vontade!
Abraços,

 

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker