Google
 
Web calcioseriea.blogspot.com

quinta-feira, maio 24, 2007

A Itália Na Europa


Il Milan sul tetto d'Europa! Pela 7ª vez na história os rossoneri de Milão se sagraram campeões europeus e esta última conquista tem nome e sobrenome: Filippo Inzaghi!
Sem dúvida, foi no melhor estilo Pippo - aguerrido, raçudo, sem grande técnica, mas com um imenso senso de gol - que o atacante anotou os 2 gols que valeram a Uefa Champions League da temporada para o Milan e transformaram uma stagione que começou do pior modo possível em mais uma página brilhante na história de um dos clubes mais vitoriosos do mundo!
Como era esperado, foi uma festa maravilhosa, como só os europeus sabem fazer (uma pena!), transformando uma simples partida de futebol em um evento colossal (na foto à direita, no alto, as equipes perfiladas antes do apito inicial - Inside).
Taticamente, Ancelotti optou por mandar o Milan a campo no esperado 4-3-2-1, com Gilardino preterido por Inzaghi, enquanto o espanhol Rafa Benitez lançou os Reds no 4-4-1-1, com Gerrard a sopporto do solitário Kuyt, deixando o gigante Crouch no banco.
O início foi melhor para a equipe inglesa (ainda que só 3 atletas fossem ingleses, contra 7 italianos no Milan), com o time de Milão demonstrando um temor excessivo, justificável apenas pela lembrança de 2005.
Com o argentino Mascherano marcando o brasileiro Kaká e Seedorf anonimo e impalpabile, o Liverpool continuou um pouco melhor na partida, ainda que seu principal jogador, o capitão Steven Gerrard, também pouco produzisse.
Mas, como destacado pelo periódico Gazzetta dello Sport, "il calcio è fatto di momenti" - e foi exatamente um destes momentos que alterou o cenário da partida: Pirlo cobrou uma falta (foto à esquerda - Empics) que foi, casualmente, desviada por um bem posicionado Inzaghi e acabou por vencer o goleiro Reina e colocou o Milan na frente no marcador, já no finalzinho do 1º tempo!
Continuou sem ser uma partida tecnicamente empolgante, mas na 2ª etapa o Milan começou melhor, apesar de que foi o Liverpool que teve a chance mais cristalina: aproveitando erro de Gattuso, Gerrard invadiu a área, mas permitiu ótima defesa de Dida.
Daí, aos 37', Kaká lançou Pippo Inzaghi sul filo del fuorigioco e o atacante de Piacenza, em sua melhor característica, evitou o goleiro espanhol Reina e completou, mais uma vez, para o fundo das redes - Milan 2 x 0 (foto à direita - Pegaso)!
Apenas para deixar o final dramático, o holandês Kuyt ainda realizou (em posição dúbia), de cabeça, um gol para a equipe inglesa aos 44', mas era tarde, desta vez a taça não escaparia das mãos do eterno Maldini (foto abaixo - Pegaso), que levantou seu 5º trófeu máximo continental.
Com a vitória rossonera, as equipes italianas se igualaram as espanholas em número de conquistas - 11, enquanto as inglesas permaneceram com 10 títulos logo em seguida.
O brasileiro Kaká, com 10 gols marcados, foi o artilheiro da competição sucedendo ao ucraniano Andriy Schevchenko que, com o mesmo Milan, marcou 9 tentos na edição precedente.
Apenas para registro, os últimos brasileiros que alcançaram a marca haviam sido Jardel (jogando pelo Porto) e Rivaldo (pelo Barcelona), que foram artilheiros da mesma UCL na temporada 1999/2000.
Por fim, no endereço http://fbwe.zip.net/ está sendo eleita, com a participação dos internautas, a seleção da competição - vale a pena participar!

Na Última Vez ...

3 Comments:

At 9:45 AM, Blogger Lady Veronese said...

Ah, gostei da parte em que disse que as equipes italianas se igualam às espanholas e estão à frente das inglesas em número de títulos.

O Inzaghi tem estrela. Podem falar que ele é chato, tosco, sem muita classe, mas quando precisa ele tá lá.

E o Kaká artilheiro o coloca bem pra eleição do melhor desse ano pela Fifa, vocês não acham?

Abçs

 
At 11:48 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

Cyntia,
Concordo plenamente com você, Pippo é e sempre foi um grande matador, ainda que meio aos trancos e barrancos!
Quanto ao Kaká, acho que o título da Champions era realmente o que faltava para que ele venha a conquistar o prêmio de melhor do mundo, ainda que eu dê mais valor ao concedido pela France Football (Balon D'Or) do que o da F.I.F.A.
Abraços,

 
At 10:53 PM, Anonymous daniel schneider said...

Kaká cavou a falta do primeiro gol e "deu", num fugaz momento de desatenção do "cão de guarda" Mascherano, passe preciso para o segundo gol. Decisivo??? Muito!(lembrem dos jogos com o Bayern e com o Manchester...)
Não vejo ninguém que possa tirar o título dele (Cristiano Ronaldo é bom, mas ainda falta a ele justamente o que Kaká demonstrou ter de sobra: ser decisivo nas grandes decisões...)

 

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker