Google
 
Web calcioseriea.blogspot.com

terça-feira, julho 17, 2007

Momento Panini - Pavel Nedved


Depois de um longo suspense, o tcheco Pavel Nedved recentemente prorrogou seu contrato por mais um ano com a Juventus e adiou sua aposentadoria dos campos de futebol.
A tratativa exitosa teve o mesmo sabor da definição de uma grande contratação, vez que o experiente meia é um dos principais jogadores da Juventus e uma eventual ausência sua seria de difícil superação.
Assim, forte no novo contrato de € 3 milhões anuais, o tcheco nascido em 30 de agosto de 1972 será, com certeza, um dos protagonistas da próxima Serie A, por onde desfila seu talento desde a temporada 1996/1997 (figurinha à direita), quando foi contratado pela Lazio junto ao Sparta Praha (antes, mais precisamente na temporada 1991/1992, Nedved ainda defendeu o Dukla Praha).
Aliás, foi depois das excelentes atuações de Nedved na Euro 96 que a Lazio superou a concorrência de outros times europeus, como o PSV Eindhoven, e assegurou as prestações do internacional tcheco, que passou a formar o meio de campo laziale com Fuser, Baronio e Rambaudi, servindo um ataque micidale composto por Casiraghi e Signori.
Aqui, cabe destacar que Nedved sempre foi um jogador dotato di straordinaria precisione e potenza nel tiro - fez logo 7 gols em 32 partidas na sua 1ª temporada na Serie A -, mas não era, quando de seu desembarque na Itália, o atleta di grande duttilità tattica que é atualmente, vez que atuava em posição bem mais central e recuada no meio, devendo muito de seu progresso a técnicos como Zoff, Eriksson, Lippi e Capello.
Daí, se na temporada 1996/1997 Nedved ficou em uma apenas honrosa 40ª posição na disputa pelo prêmio Guerin d'Oro, na temporada seguinte já ficou fora do pódio por apenas um centésimo, cravando média de 6,51 contra 6,52 de Ronaldo (Francesco Totti e Roberto Baggio ocuparam as primeiras posições na ocasião).
A temporada 1998/1999 não foi das mais felizes para Nedved, que sofreu um grave infortunio e ficou muito tempo afastado dos gramados, mas, ainda assim, foi do tcheco o gol que valeu a conquista da Coppa delle Coppe pela Lazio, superando o Mallorca por 2 x 1 (o outro tento laziale foi de Vieri) na final.
Porém, na stagione 1999/2000 veio o tão sonhado Scudetto para a equipe biancoceleste, coroando una bellissima squadra que soube recuperar 10 pontos de desvantagem para a Juventus em apenas 8 rodadas e que teve em Veron, mas também em Nedved, seus grandes artífices.
Ao final do campeonato seguinte, depois de mais 9 gols em 31 partidas, Nedved trocou a Lazio pela Juventus, que pagou 70 miliardi de velhas liras pelo craque da República Tcheca.
Com a incumbência de substituir ninguém menos que Zinedine Zidane no time de Turim, Nedved não decepcionou e logo levantou o caneco de campeão italiano, após uma árdua disputa que foi até a última rodada contra a Internazionale de Ronaldo e a Roma de Cassano.
O campeonato 2002/2003 terminou com a Juventus mais uma vez campeã italiana e Nedved, ainda que derrotado na final da Uefa Champions League pelo Milan, vencedor do prêmio Pallone d'Oro concedido pela France Football para o melhor futebolista da Europa.
Depois, vieram os 2 títulos italianos cassados e o conseqüente rebaixamento da Juventus à Serie B, que Nedved não se recusou a disputar para assegurar a volta imediata da gloriosa Vecchia Signora ao palco que lhe é mais apropriado - a Serie A!
Agora, o Furia Ceca (a figurinha acima é da temporada 2006/2007), símbolo da Juventus, adorato dai tifosi e fondamentale per lo spogliatoio bianconero, se prepara para, quem sabe, encerrar sua carreira com mais um scudetto no currículo!

Na Última Vez ...

3 Comments:

At 11:01 AM, Blogger JP said...

Nedved, é depois de Del Piero o jogador que mais admiro nos últimos 10-15 anos. Impressiona a sua capacidade física, o seu remate portentoso, o poder técnico e táctico e ainda hoje com quase 35 anos é um jogador completissimo que com toda a certeza sera decisivo em mais uma campanha que se espera triunfal da Juve. Recordo-me do euro 96 quando uma jovem e talentosa selecção checa surpreendeu a Europa eliminando sucessivamente Itália, Portugal e França sendo apenas derrotada no prolongamento da final pela na altura poderosa Alemanha. Pavel foi um dos destaques da equipa e como referiste e bem foi contratado pela Lazio e actuava ainda no centro do meio campo, so depois evoluiu e passou a jogar na faixa esquerda onde ainda hoje demonstra toda a sua classe. Em 2001 a Juve vende Zidane pro Real e com esse dinheiro compra Nedved e Buffon, apostas que se revelariam acertadissimas, Buffon é o melhor guarda redes do mundo e Nedved na minha opinião atingiu sempre rendimentos muito superiores ao do frances na Juve. Em 2003 na meia final da Champions contra o Real Madrid em Turim, perto do fim Pavel leva um amarelo e fica de fora da final de Old Trafford com o Milan e muita gente comentou que o favoritismo da Juve cairia por terra assim... confirmou-se na final que a equipa jogou coxa sem a magia do checo... Algumas curiosidades que li sobre Pavel foram por exemplo que em pequeno o seu pai o obrigava a chutar com os 2 pés, e hoje nota-se bem que Pavel apesar de ser destro apresenta um pé esquerdo fantástico não se notando menos qualidade quando joga com esse pé. Outra é que apresenta duas rotulas nos joelhos em vez de apenas uma como quase toda a gente, especialistas ja disseram que pode estar aí o segredo para o seu forte e portentoso remate. Foi ainda eleito o melhor jogador checo de sempre alem de ter ganho a bola de ouro 2003 como referes no post.
É juntamente com Buffon e Del Piero o grande símbolo da Juve e é muito provavelmente o jogador estrangeiro mais admirado de sempre pelos tiffosi bianconeri, talvez apenas superado pelo mito Platini.

 
At 5:35 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

JP,
Muitíssimo obrigado pela participação, verdadeiro complemento do texto postado!
Abraços,

 
At 9:13 PM, Blogger Fabriani Melazzo said...

Nedved enche os olhos de qualquer um.
Nunca vi um "admirador" de futebol falar mal do Pavel.
Incrível como um jogador consegue tanta empatia até mesmo de torcedores dos times arqui-rivais.
É na minha opinião, um dos jogadores mais importantes da história da Madama. Mas antes da Fúria Tcheca ainda tem Bettega, Zoff, Platini, Schirea e Del Piero. Agora vem Nedved, Buffon, Zidane e Baggio. Isso não significa que estou desmerecendo o nosso amado Pavel. De jeito nenhum.
É a representatividade que os ídolos tem para os tiffosos bianconeri.
Vai ficar um sentimento ruim por um bom tempo. É como se estivéssemos terminando um namoro longo. Agora vem o período de muita depressão, aquela vontade de ver o jogador com a camisa gloriosa, a saudade desastrosa e o peso do sentimento inconformado com a partida do ídolo.
É isso aí.
ADEUS FÚRIA.
GRAZIE PER TUTTO

 

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker