Google
 
Web calcioseriea.blogspot.com

terça-feira, julho 24, 2007

Momento Panini - Amauri


Quando Amauri fez sua estréia na Serie A em 14 de abril de 2001 (na 26ª giornata da temporada 2000/2001) na vitória do Napoli em Bari por 1 x 0 (tento do tcheco Jankulovski), poucos seriam capazes de adivinhar que aquele jovem alto e de estilo meio desengonçado se tornaria um dos principais destaques do fortíssimo campeonato italiano apenas alguns anos depois.
Oriundo da cidade paulista de Carapicuíba, nascido em 03 de junho de 1980, Amauri Carvalho de Oliveira é um dos tantos brasileiros que nunca atuaram em seu país profissionalmente, mas que fazem largo sucesso em gramados de além-mar.
No país organizador do Pan 2007, Amauri não conseguiu ser aprovado nas várias (13 para ser mais exato) peneiras das quais participou, tendo trabalhado como office-boy e como metalúrgico até que, em uma pelada de churrasco, foi convidado para integrar um clube amador de Blumenau que iria excursionar à Europa algum tempo depois.
Na Itália, após participar com destaque do tradicional torneio de Viareggio em 2000, Amauri conheceu um agente italiano, Mariano Grimaldi, que praticamente o adotou e resultou fundamental para o deslanche de sua carreira.
Assim, de repente, aquele desconhecido jogador havia firmado um contrato com o Napoli, ex-clube de Maradona e Careca, que o emprestou ao Bellinzona, da Suíça.
De volta à Itália em janeiro de 2001, Amauri terminou a temporada com 6 partidas e 1 gol (anotado contra o Verona, em dia no qual fez dupla de ataque com Edmundo!) em seu currículo.
Daí, Amauri e seu compatriota Matuzalém foram contratados pelo Parma, clube no qual, porém, nenhum dos 2 atuou, sendo logo cedidos, por empréstimo, ao Piacenza para a temporada 2001/2002.
Se Matuzalém se firmou no centrocampo do time bianco-rosso, Amauri (a figurinha ao lado é da temporada 2001/2002) não teve o mesmo sucesso e terminou o campeonato com apenas 7 presenças, obscurizado pelo capocannoniere Hübner e pelo experiente Poggi.
Na temporada seguinte Amauri se mudou para Empoli, mas só jogou pelo Messina, na Serie B, onde foi parar em setembro.
Apesar de não ter feito grande sucesso no campeonato cadetto, Amauri voltou à Serie A contratado pelo Chievo para a stagione 2003/2004, quando realizou 4 gols em 29 partidas.
A explosão do bom futebol do habilidoso atacante veio no campeonato 2005/2006, encerrado com a expressiva marca de 11 tentos.
Então, por cerca de € 10 milhões, o ambicioso Zamparini, presidente de um dos clubes mais queridos da Itália - o rosanero Palermo - apostou na contratação do atacante brasileiro (superando a concorrência de clubes como o Barcelona) para ser a ponta de diamante da forte squadra que vem montando ano a ano.
Apesar de uma grave contusão ter deixado Amauri afastado de boa parte da temporada 2006/2007 (figurinha ao lado), o atacante brasileiro retribuiu a confiança depositada, tanto que ficou em 2º lugar na graduatória do Guerin d'Oro concedido pela revista Guerin Sportivo ao melhor jogador do campeonato italiano, restando incluído no Top 11 da referida revista.
Agora, recuperado e tendo ao seu lado o rápido Miccoli, Amauri terá todas as condições para confirmar as expectativas e ganhar um lugar na Seleção ou ... na Azzurra!

Na Última Vez ...

6 Comments:

At 10:54 AM, Blogger JP said...

Realmente na epoca passada o Palermo depois de um optimo inicio, começou a ir-se abaixo mais ou menos na mesma altura em que Amauri se lesionou com gravidade... este ano com o "rato" Miccoli a seu lado os estragos feitos por este versatil jogador podem ainda ser maiores...

 
At 12:04 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

JP,
Muito obrigado por mais esta participação!
Efetivamente, o Palermo foi um com Amauri e outro sem o atacante brasileiro, o que foi até surpreendente.
Quanto ao Miccoli, parece que ele foi muito bem no Benfica, não?
Abraços,

 
At 8:58 PM, Blogger JP said...

Sim, é verdade Miccoli fez um estrondoso sucesso no Benfica criando uma empatia enorme com os adeptos do clube aliando a isso uma grande performance e alguns golos decisivos. Foi com muita pena que os adeptos viram o seu "piccolo" passar para o Palermo... mas, Cardozo avançado paraguaio contratado aos argentinos do Newell's Old Boys parece prometer fazer esquecer rapidamente o italiano... por falar no futebol portugues, queria desde ha algum tempo perguntar-te uma questao sobre um campeao do mundo brasileiro que na ultima epoca fez furor em Portugal, Anderson Polga. qual é a ideia que voces têm aí dele e mesmo o proprio Dunga? Não percebo porque é que um jogador da sua qualidade não regressa à selecção brasileira... toda a gente na Europa fala no Pepe e na sua milionaria transferencia para o Real Madrid mas, eu continuo a achar o Polga muito mais jogador e com muita mais classe... na ultima epoca Polga foi juntamente com Caneira (regressou ao Valencia) o grande pilar do Sporting, sendo a equipa lisboeta a defesa menos batida das principais ligas europeias. Talvez por isso foi recentemente promovido a vice-capitão de equipa.
Boa continuação do teu excelente blog, 1 abraço

 
At 9:41 PM, Blogger Cyntia said...

Rodolfo...
Parabéns pela radiografia do Amauri. Nem fazia idéia de que ele havia ido para a Europa da maneira que foi. Me faz lembrar o 'Lou Lou' Oliveira, aquele da Fiorentina, naturalizado belga. Nunca foi profissional no Brasil.

Voltando ao Amauri, que finalmente é chamado assim agora pelos italianos, fico a pensar em como teria sido o Palermo com ele em campo. Depois da contusão dele, o time caiu vertiginosamente de produção. Até já discutimos muito isso aqui, né? Acho que ele e Miccoli farão uma dupla das boas e teremos muitos gols na temporada que chega.

Desejo a ele mais sorte nessa temporada. Você sabe me dizer se ele já está treinando novamente?

Abraços,

 
At 11:09 AM, Blogger Rodolfo Moura said...

JP,
Particularmente, gosto muito do Polga, mas ele não é muito lembrado aqui no Brasil.
Recentemente, assisti a um programa sobre ele em Portugal, no qual o atleta falou até de seleção brasileira, mas foi uma exceção, já que raramente ele aparece na imprensa.
Acho que por não jogar na Espanha ou na Itália e, no Brasil, ter atuado apenas no Grêmio (ou seja, fora do eixo Rio-São Paulo), adicionado ao fato de ter um caráter introvertido, resulta que Polga não é lembrado pela imprensa e, também, pelos treinadores da seleção, que preferem os vários Alex, Juan, Lúcio e Luisão.
Mas, como escrevi antes, acho ele uma excelente opção.
Abraços,

 
At 11:13 AM, Blogger Rodolfo Moura said...

Cyntia,
Muito obrigado pelo elogio, fico por demais lisonjeado!
Amauri, segundo a Gazzetta dello Sport, está 'quasi pronto'.
Abraços,

 

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker