Google
 
Web calcioseriea.blogspot.com

sexta-feira, janeiro 19, 2007

Campione Azzurro - Gianluca Pagliuca

A coluna 'Campione Azzurro' vai tratar, nesta semana, do goleiro do lanterninha da Serie A, o Ascoli, que ainda tem uma das piores defesas do torneio...
Mas Gianluca Pagliuca, 40 anos completados no último mês de dezembro, é dono de um currículo invejável, tendo, por exemplo, 19 temporadas na Serie A, das quais 18 como titular.
Também sua lista de serviços prestados à seleção italiana é longa, com o capítulo inicial remontando a 1987, quando foi convocado pela 1ª vez para a representação sub 21 da Azzurra.
Apesar de ter integrado o grupo italiano que disputou a Copa do Mundo de 1990 (como 3º goleiro), Pagliuca somente fez sua estréia na seleção principal em 1991, mais precisamente no dia 16 de junho, na final do Torneio Scania 100, disputada e vencida contra a Rússia, substituíndo, no intervalo, Walter Zenga, então considerado o melhor arqueiro do planeta!
Titular na Copa do Mundo seguinte, de 1994 (foto acima - Guerin Sportivo), Pagliuca quase entrou para a história como o responsável por uma precoce eliminação da Itália logo na 1ª fase, vez que uma grave incerteza sua ocasionou a derrota para o Eire nel match d'esordio.
Para piorar, no jogo seguinte, contra a Noruega, Pagliuca foi obrigado a deixar a área aos 21' e, com a mão, interromper uma jogada do selecionado adversário - espulsione inevitabile (a 1ª de um goleiro em uma Copa do Mundo)!
Mas o destino quis que a Itália derrotasse a Noruega e conseguisse, primeiramente, a classificação para as 8ªs e depois para as 4ªs de final, quando Pagliuca pode retornar à meta italiana após cumprir a suspensão imposta pela F.I.F.A.
O final da Copa dos Estados Unidos é do conhecimento de todos - vitória brasileira sobre os italianos nas cobranças de pênaltis, apesar de Pagliuca ter defendido uma das cobranças.
Já consagrado como um dos melhores goleiros do mundo, Pagliuca foi escolhido por Cesare Maldini, então treinador da rappresentativa azzurra olimpica, para participar da desafortunada aventura italiana às Olimpíadas de Atlanta em 1996, ocupando uma das 3 vagas para jogadores com idade superior a 23 anos, ainda que a Itália contasse com um imberbe Buffon na reserva.
Porém, nessa mesma época, Arrigo Sacchi escolheu Angelo Peruzzi para ser titular da Azzurra, relegando Pagliuca ao banco de reservas.
Ocorre que, mais uma vez, o acaso entrou em campo e, graças a uma contusão sofrida por Peruzzi dias antes da viagem para a França, Pagliuca ganhou a camisa 1 italiana novamente (em verdade, Pagliuca - foto acima - Guerin Sportivo - foi titularizado, mas permaneceu com a camisa 12, tendo o substituto Francesco Toldo recebido a de nº 1)!
Na Copa de 98, ao contrário da antecedente, Pagliuca não decepcionou na primeira fase (na foto ao lado - Guerin Sportivo - contra o Chile em Bordeaux) e voltou a se distinguir por intervenções importantes, como as realizadas nas partidas contra Camarões, Noruega pelas 8ªs de final (inesquecível sua defesa em conclusão do atacante Flo) e França, válida pelas 4ªs de final, quando a Itália foi eliminada mais uma vez nas cobranças de pênalti.
E foi exatamente a partida disputada contra a França na Copa de 1998, na qual Pagliuca defendeu a cobrança de pênalti efetuada pelo lateral Lizarazu, a última na sua importante carreira com a camisa azul do selecionado italiano, concluída com 39 presenças e apenas 27 gols sofridos.

Na Última Vez ...

7 Comments:

At 3:22 PM, Anonymous Tiago said...

Grande Rodolfo,

Mais uma bela matéria. Acho que se a Itália tivesse ganho do Brasil nos pênaltis em 1994, certamente ele seria endeusado na Bota...
Sorte nossa que tínhamos o Taffarel e eles o Baggio...

 
At 4:05 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

Tiago,
Muito obrigado pelo elogio e, principalmente, pela participação.
Estava sentindo falta dos seus sempre pertinentes comentários!
Aliás, está gostando da dupla Diego-Tuta?
Abraços,

 
At 1:53 AM, Blogger Lady Veronese said...

Gosto do Pagliuca, embora sempre tenha preferido o Zenga.
Mesmo assim, Pagliuca é muito melhor que muito goleiro de hoje na Italia. Uma pena que joga em um time limitado como o Ascoli. Quase um saco de pancadas. Queria ele de volta na "minha" Sampdoria porque meu coração não vai resistir à temporada do Castellazzi! Mamma mia!

 
At 3:49 PM, Anonymous Tiago said...

O Diego já está se tornando um dos principais jogadores do time: foi eleito o melhor em campo no sábado e, assim que entrar em forma, tem tudo para dar certo.
O Tuta também está um pouco gordinho, mas estreou fazendo gol e acho que vai virar artilheiro,pois meu time costuma fazer muito jogo aéreo, especialidade do centroavante.
Abraço.

 
At 6:56 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

Cyntia,
Apenas para você ficar com água na boca, muito bom era aquele time com Pagliuca; Mannini, Lanna, Vierchowod e Carboni; Pari, Cerezo e Dossena; Lombardo, Mancini e Vialli. Tudo com o mago Boskov no banco!

 
At 6:57 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

Tiago,
Fico feliz de saber que o Diego e o Tuta são craques agora!
Sobre o Tuta ainda vou escrever algo.
Abraços,

 
At 3:22 PM, Anonymous Tiago said...

Fez mais um quarta-feira.

 

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker