Google
 
Web calcioseriea.blogspot.com

quinta-feira, outubro 09, 2008

Memorabilia - Borgonovo

Recentemente, o mundo do Calcio foi abalado pela notícia de que o ex atacante de Fiorentina, Milan e da Nazionale Italiana, Stefano Borgonovo, estava acometido da Sclerosi Laterale Amiotrofica - SLA (conhecida também como Doença de Lou Gehrig), uma moléstia neurodegenerativa progressiva e fatal que ataca o sistema nervoso central e que, embora rara (a incidência é de 1 a 3 casos por cada 100.000 indivíduos ao ano), tem feito diversas vítimas entre jogadores de futebol, dentre os quais, recentemente, Gianluca Signorini, storica bandiera do Genoa que faleceu em 2002 aos 42 anos.
Já Borgonovo nasceu aos 17 de março de 1964 em Giussano, província de Monza e Brianza e pertinho de Como, de onde surgiu para o mundo do futebol defendendo os Lariani.
Típico atacante de área, Borgo fez sua estréia na Serie A ainda diciassettene, em 14 de março de 1982, mas esperaria outras 3 temporadas para voltar a jogar no più bello campionato di calcio.
Na stagione 1985/1986 (acima contra o stopper Brio, em Juventus x Como de 12 de janeiro - Giglio), servido pelo brasileiro Dirceu (http://calcioseriea.blogspot.com/2007/04/memorabilia-dirceu.html), Borgonovo foi uma das grandes revelações da Serie A realizando 10 gols em 29 partidas, terminando dentre os principais cannonieri do torneio (Platini e Maradona, por exemplo, fizeram, respectivamente, 12 e 11 gols).
Nas temporadas seguintes, uma série de contusões (problema que iria acompanhá-lo por toda a carreira) impediu que Borgonovo repetisse o feito, mas, ainda assim, em 1988 Borgo foi contratado pelo Milan de Berlusconi e Sacchi que, porém, o emprestou (prestito secco) à Fiorentina.
Em Florença, Borgogol formou uma dupla sensacional com Roberto Baggio, denominada B2, responsável por 29 tentos (15 do Codino e 14 de Borgonovo) e chegou à Azzurra, convocado por Azeglio Vicini.
Totalmente adaptado à Firenze (à esquerda contra a Lazio em 1991, em sua 2ª passagem pela Viola - Sabe), Borgonovo chegou a solicitar a Galliani para permanecer na Fiorentina, mas o Milan o tinha como substituto de Virdis e o atacante partiu para Milão, onde teve um avvio promettente: tripletta contra o Galatasaray e gol na 1ª rodada di campionato.
Porém, com apenas 2 meses na corte de Sacchi, Borgonovo sofreu uma grave lesão no joelho que o afastou de praticamente todo o restante da temporada, embora tenha voltado a tempo de ser decisivo na semifinale da Coppa dei Campioni contra o Bayern München, quando sofreu o pênalti convertido por Van Basten na vitória em Milão por 1 x 0 e marcou o tento rossonero na derrota de 2 x 1 na Baviera.
Ao final da temporada 1989/1990 (à direita - Guerin Sportivo), não obstante o desejo de Sacchi de contar com o jogador para o campeonato seguinte, Borgonovo fez de tudo para voltar para Florença, mesmo sabendo que o clima com as saídas de Baggio e Battistini não era dos melhores.
Sem mais a mesma explosão e eclipsado por Batistuta, Borgonovo passou ao Pescara no campeonato 1992/1993 (foto abaixo, à esquerda - Bellini), onde reencontrou seu amigo Dunga e realizou 9 gols, que, porém, não foram suficientes para salvar a equipe da Serie B.
Depois de começar a stagione seguinte no campeonato cadetto, tendo feito 2 gols em 7 partidas, Borgogol se transferiu à Udinese, onde encerraria a carreira em 1996 depois de uma outra temporada emprestado ao Brescia.
Tendo realizado 47 gols em sua passagem pela Serie A, Borgonovo ainda iniciou a carreira de treinador nas divisões de base do seu amado Como, mas teve que abandoná-la em 2005 já por problemas de saúde.
Agora, aos 44 anos, paralisado e com a doença já em estado avançado (que ele simplesmente chama de "la stronza"), Borgonovo resolveu juntar suas últimas forças para ajudar na busca da cura de tão perniciosa moléstia que os especialistas acreditam que tem causa em uma mistura de fatores ambientais e hereditários: pancadas, abuso de anti-inflamatórios, excesso de esforço, inalação de pesticidas, ... .
Assim, no dia de ontem, Borgonovo entrou no Artemio Franchi tendo sua cadeira de rodas empurrada por Baggio para o encontro "Tutti per Stefano Borgonovo", que contou com a participação de diversos astros de hoje e ontem de Fiorentina e Milan (Ancelotti, Antognoni, Baresi, Donadoni, Gullit, Lacatus, Mazinho, Rijkaard e Ronaldinho, dentre tantos outros) para recolher fundos para financiar as pesquisas.
O atual treinador da seleção brasileira, o ex viola Dunga, não pode comparecer, mas enviou mensagem com os seguintes dizeres: "Non potrò esserci, perché sarò impegnato nelle qualificazioni mondiali. Ma, anche da lontano, combatto la stessa battaglia di Stefano. Lui brontolava con me perché nella partite continuavo a urlare. Bene, stavolta urlo: 'Borgo, non mollare'. Lui e Baggio hanno formato una delle coppie d'atacco più magiche del calcio italiano"
(algo, como, em tradução livre: "Não poderei comparecer, porque estarei disputando as eliminatórias mundias. Mas, mesmo de longe, combato na mesma batalha de Stefano. Ele reclamava de mim porque nas partidas eu continuava gritando. Bem, desta vez grito: 'Borgo, não desista'. Ele e Baggio formaram uma das duplas de ataque mais mágicas do futebol italiano").
Por fim, o legado de Borgogol: "Ho intenzione di far nascere una fondazione Stefano Borgonovo, io amo troppo il calcio e mi rifiuto di pensare che è una malattia del calcio. Anzi, se potessi, scenderei in campo, in cortile o all'oratorio, io vado a giocare".
Para quem desejar, abaixo um bonito vídeo produzido por Marco Moroni em homenagem ao valoroso atacante:

video

Marcadores: , ,

Na Última Vez ...

6 Comments:

At 7:20 PM, Blogger Michel Costa said...

Rodolfo,
Pelo que li, a incidência da SLA é maior em jogadores de futebol do que em outras pessoas. As causas podem estar em "pancadas, abuso de anti-inflamatórios e excesso de esforço" como o seu texto definiu tão bem. As contusões enfrentadas na carreira podem explicar o uso dos anti-inflamatórios, por exemplo.
Torço muito para que o esforço de Borgonovo nesta busca do melhor tratamento para a doença alcance êxito.
"Forza Borgogol!"

 
At 2:20 AM, Blogger Rodolfo Moura said...

Michel,
Fico feliz que você tenha passado por aqui. Borgonovo estava em seu auge quando comecei a acompanhar a Serie A e a revelação de sua doença me comoveu muito, daí a lembrança de postar o presente 'Memorabilia'.
Abraços,

 
At 1:30 PM, Anonymous Brahma said...

Parabens pela materia, o Borgonovo era um grande atacante, gostava muito dele e na epoca que atuva junto ao Baggio os dois formavam uma dupla irresistivel.Parabens tambem por ter tratado a causa dessa doença sem dar uma explicaçao certa, como muitos falam, seja essa por causa dependente vida o da conduta do jogador, seja por tragica fatalidade (nao se pode saber).
Abraço

 
At 4:02 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

Brahma,
Muito obrigado! Efetivamente, a busca pela cura (que, necessariamente, tem que passar pelas causas) dessa moléstia deve ser priorizada.
Abraços,

 
At 11:04 PM, Blogger JP said...

Confesso que até ouvir falar da grave doença que atinge este atleta o desconhecia completamente. Não sei se te recordas de um jogador búlgaro que actuou no mundial dos EUA em 1994 de nome Iordanov, polivalente, actuava em qualquer posição. Ele jogou em Portugal no Sporting durante grande parte da década de 90 e salvo erro em 97 foi-lhe diagnosticado esclerose múltipla. Mostrando uma força de vontade inabalável conseguiu prosseguir a carreira e só deixou os relvados em 2001, sempre de leão ao peito. Felizmente para o búlgaro a sua doença é menos grave que a do italiano e ele com a ajuda de medicação consegue ter uma vida mais ou menos normal, nada comparável à de Borgonovo.
Foi bonita a homenagem que lhe renderam no Artemio Franchi, o futebol quando quer, também consegue ter um lado humano.
Abraços e parabéns pelo excelente texto e escolha do vídeo

 
At 1:14 AM, Blogger Rodolfo Moura said...

JP,
Muito obrigado pelo elogio e, principalmente, por ter dedicado seu tempo a leitura deste 'post', que fiz tomado por grande emoção, vez que acompanhei a carreira do 'Borgogol' sempre com atenção.
Quanto ao Iordanov, me lembro sim de sua passagem por Portugal, mas desconhecia sua doença.
Quem também está acometido por uma infeliz moléstia (uma variante da 'SLA') é o meia Geovani, ex Bologna (sobre o qual até já postei um 'Memorabilia'), que tem tentado levar uma vida normal.
Abraços,

 

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker