Google
 
Web calcioseriea.blogspot.com

quinta-feira, novembro 15, 2007

Memorabilia - Bettega

Una vita in bianconero - um título que seria bastante apropriado para uma biografia sobre Roberto Bettega, sobre quem Giampiero Boniperti, outro juventino ilustre, pontuou com felicidade: "Roberto è stato uno dei giocatori che hanno fatto la storia bianconera (...) un grande campione, un simbolo".
Realmente, Bobby Gol é um dos personagens mais ligados à Juventus em toda a sua centenária história.
Para começar, Bettega nasceu aos 27 de dezembro de 1950 na própria cidade de Turim e transcorreu toda a sua formação como atleta na Juventus, de onde saiu na temporada 1969/1970 para ganhar experiência no Varese, então na Serie B e treinado pelo mítico Nils Liedholm.
Fundamental na promoção da equipe lombarda à Serie A com 13 gols em 30 partidas, Bettega retornou à Juventus já na temporada seguinte.
Logo em sua estréia na Serie A, no dia 27 de setembro de 1970 contra o Catania, o futuro Penna Bianca marcou o gol decisivo que valeu a vitória à Juventus por 1 x 0.
Ao final do campeonato 1970/1971, uma Juventus repleta de jovens ficou apenas na 4ª colocação, mas Bettega, jogando ao lado do também giovane Causio, terminou como artilheiro da equipe com 13 tentos anotados.
No torneio seguinte, com Boniperti como presidente bianconero, a aposta na maturazione dei giovani sob o comando do treinador tcheco Cestmir Vycpalek resultou na conquista do scudetto, com grande contribuição de Bettega, que realizou gol a raffica até ser constatada uma infezione di tubercolosi que deixou o atacante fora de ação por mais de 8 meses.
Para a temporada 1972/1973 se juntaram ao grupo o goleiro Zoff e o experiente atacante Altafini, com Bettega (à direita, no início dos anos 80 - Guerin Sportivo) conquistando o 2º dos seus 7 títulos italianos.
Depois de um vice-campeonato na temporada 1973/1974, a Juventus voltaria a reinar na Itália no campeonato seguinte, já com diversos pilares que seriam campeões mundiais em 1982 na Espanha: Zoff, Gentile, Scirea e Causio.
Dando seqüência ao ciclo extremamente vitorioso, vieram o vice-campeonato da temporada 1975/1976 (com o scudetto ficando para o rival Torino) e o título da stagione 1976/1977, agora já sob o comando de Giovanni Trapattoni, com Tardelli no meio de campo, um esordiente Cabrini aparecendo na lateral esquerda e Bettega compondo o ataque com o ex-nerazzurro Boninsegna.
O campeonato seguinte foi o da explosão de Pablito Rossi com o Vicenza, mas o caneco mais uma vez ficou em Turim com a Juventus de Bettega, que terminou 5 pontos a frente da surpreendente nobile provinciale.
A Juventus e Bobby Gol só voltariam a ser campeões na temporada 1980/1981, mas na anterior, apesar do título ter ido para as mãos da Internazionale, Bettega se sagrou artilheiro da Serie A com 16 gols, 1 a mais que Altobelli e 3 além de Rossi.
O 7º e derradeiro scudetto Bettega (à esquerda, portando o símbolo no peito - Giglio) conquistou no campeonato 1981/1982 (apenas 2 jogadores conquistaram mais títulos italianos em suas carreiras - Giovanni Ferrari e Giuseppe Furino, companheiro de Bettega no incrível esquadrão bianconero), temporada que acabou muito mal em razão da contusão que Penna Bianca sofreu no joelho contra o Anderlecht em jogo válido pela Copa dos Campeões e que redundou na sua ausência na Copa do Mundo da Espanha, quando a Itália se sagraria campeã.
Com a Azzurra, aliás, Bettega fez sua estréia em 1975 contra a Finlândia e teve seu auge na Copa do Mundo de 1978, quando inclusive marcou o gol que custou à Argentina a única derrota no torneio.
Ao todo, Bettega fez 42 partidas e 19 gols com a seleção italiana (à direita - Onze).
Na Europa, Bettega não repetiu com a Juventus o mesmo sucesso alcançado na Itália, tendo perdido as finais da Coppa delle Fiere (1971) e da mais importante Coppa dei Campioni em duas ocasiões (1973 e 1983), conquistando apenas a Coppa Uefa de 1977.
Aliás, a final perdida para o Hamburg em Atenas por 1 x 0 foi a última partida juventina de Bettega, que depois de 481 jogos oficiais (é o 4º jogador que mais atuou pela Juventus) e 178 gols (é o 3º maior artilheiro bianconero) foi desfilar sua habilidade na North American Soccer League com a camisa do Toronto Blizzard, onde encerrou sua carreira depois de duas temporadas em 1984.
Posteriormente, atendendo a chamada da família Agnelli, Bettega exerceu o cargo de vice-presidente da Juventus de 1994 a 2006, período na qual a Juve venceu 15 títulos importantes, incluíndo seis Scudetti e uma Uefa Champions League.
Curiosamente, o estádio do Tacuary, clube paraguaio da capital Assunção, é dedicado a Bettega, que assim é uma das poucas personalidades vivas que levam a homenagem - mais do que merecida!

Marcadores: , ,

Na Última Vez ...

6 Comments:

At 12:08 AM, Blogger Lady Cyntia said...

Engraçado, o Ravanelli teve o apelido de 'Penna Biana' pela semelhança com o Penna Bianca I? Nossa, ele deveria se orgulhar muito disso. Ter um codinome inspirado nesse campeão da 'Vecchia Signora'

Homenagem mais do que merecida a ele.

O que ele anda fazendo agora? Vocês sabem?

abçs

 
At 12:33 AM, Blogger Rodolfo Moura said...

Cyntia,
Acho que o apelido do Ravanelli vem realmente da semelhança com o Bettega (porque será?), apesar de que ele já era assim conhecido antes mesmo de chegar à Juventus.
Quanto ao Bettega, até onde sei está afastado do futebol desde o 'Calciopoli', lembrando que seu filho Alessandro está no Siena, embora não apareça relacionado no site do clube.
Abraços,

 
At 12:34 PM, Anonymous Brahma said...

Esse jogador era muito...muito habilidoso.Forte cabeceador, tambem era muito valente na "pratica da bicicleta".O cabelo dele virou branco muito cedo e alem de ganhar o apelido que o Rodolfo lembra,aqui na Italia gravou um comercial de uma tintura de cabelo:)
Abraço

 
At 1:49 PM, Blogger JP said...

Pois é Rodolfo, desta vez antecipaste-te! Eu estou a pensar colocar um post nos 'craques bianconeri' sobre Bettega para breve... mas, é justo, da outra vez antecipei-me eu com o Sivori ;)
Realmente Bettega foi um dos melhores avançados da Juve, os seus números e títulos falam por si, apenas em termos europeus as coisas não correram tão bem, como referes e bem... está muito bom o post, vai ser díficil eu fazer melhor quando fizer sobre ele... ;)
Abraços

 
At 4:05 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

Prezados,
Muito obrigado pelas participações!
A coluna 'Memorabilia' é a que escrevo com mais satisfação e é sempre extraordinário saber que foi lida, ainda mais por sumidades do 'Calcio' como vocês!
Abraços,

 
At 11:05 PM, Anonymous Anônimo said...

Hi Rodolfo, I'm italian collectors of material about Roberto Bettega. Have you something with pictures of Bettega? Magazines, stickers, books, posters etc.
Can you send me in high resolution the second picture of Bettega that is in your "postado"? Many thanks!
Pierluigi
www.robertobettega.it
bettega@inwind.it

 

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker