Google
 
Web calcioseriea.blogspot.com

quinta-feira, junho 07, 2007

Memorabilia - Gullit

Ruud Dil Gullit, o Tulipano Nero, é um dos jogadores mais representativos da Holanda e uno dei giocatori europei più forti di sempre, tendo o seu Milan marcado toda uma geração de aficcionados.
Nascido em Amsterdam em 1º de setembro de 1962, começou sua carreira de futebolista como defensor e, progressivamente, foi avançando seu raio de ação até se tornar um meia ofensivo di innata potenza e ottimo fiuto del goal.
Profissionalizado no Haarlem, foi campeão holandês tanto com o Feyenoord (1983/1984), quanto com o PSV Eindhoven (1985/1986 e 1986/1987), clube com o qual apareceu para o cenário internacional e estreou na seleção Orange (foto acima - Guerin Sportivo).
Aliás, foi com o clube de Eindhoven que Gullit participou de um torneio na pré-temporada de 1986, em Barcelona (Trofeu Joan Gamper), no qual o Milan também esteve presente e deixou tão impressionado Silvio Berlusconi, que o todo-poderoso presidente rossonero resolveu contratar o colored con le treccine para o time stellare que formava.
Assim, Gullit chegou ao Milan para a temporada 1987/1988 juntamente com o avante, também holandês, Marco Van Basten, logo conquistando o scudetto numero undici da história milanista depois de um entusiasmante duelo com o Napoli de Maradona (era o 1º ano sob o comando de Arrigo Sacchi e o time de Milão, faltando 5 rodadas para o final do campeonato, estava 4 pontos atrás do Napoli).
As excelentes atuações do Tulipano Nero em sua 1ª temporada na Itália acabaram resultando na conquista do prestigioso Ballon D'Or concedido pela revista France Football, mas seria no ano seguinte que Gullit alcançaria seu apogeu futebolístico, conquistando, como protagonista, a Eurocopa disputada na Alemanha - seu o 1º gol contra a então U.R.S.S. na finalíssima!
Nos anos seguintes, ao lado de Van Basten e do também holandês Frank Rijkaard, transforma o Milan no clube mais admirado do planeta conquistando duas Coppa dei Campioni, duas Copas Intercontinentais e outros 2 scudetti, dentre outros trófeus, mas tem uma atuação apenas discreta na Copa do Mundo de 1990, quando a Holanda, apontada como uma das grandes favoritas, teve uma atuação pífia.
Na temporada 1993/1994, com a abertura do Calcio para um sem número de estrangeiros, mas com apenas 3 podendo ingressar em campo a cada partida, Gullit acabou se transferindo à Sampdoria (foto da esquerda, no alto - Guerin Sportivo).
Apesar do título italiano ter ficado com seu ex-clube, Gullit terminou o campeonato como um dos destaques da Serie A, realizando 15 gols em 31 partidas (o artilheiro do Milan na temporada foi Massaro com 11) e levando a Samp à uma ótima 3ª colocação e ao título da Copa Itália - tudo isso jogando não mais na frente, mas totalmente livre em campo.
Chamado de volta ao Milan (à direita com a camisa do clube de Milão - Sabattini), ficou apenas o tempo suficiente para conquistar a Supercoppa Italiana em cima, exatamente, da Samp (foi seu o gol que levou a partida para i supplementari), para onde mais uma vez foi após desavenças com o treinador Capello.
A temporada 1994/1995 foi sua última na Itália, tendo fechado sua participação na Serie A com excelentes 12 gols (9 pela Samp e 3 pelo Milan) em 30 partidas (22 e 8, respectivamente).
O magnífico Tulipano Nero prosseguiu sua brilhante carreira como The Dreadlocked Dynamo na Premier League, com o Chelsea, clube no qual iniciou sua carreira de treinador.

Na Última Vez ...

4 Comments:

At 1:19 PM, Anonymous Michel said...

Rodolfo, estava pensando sobre o posicionamento do Gullit na Samp, será que existe algum jogador com essas características hoje em dia? Sei lá, os jogadores de hoje parecem muito limitados a determinada faixa de campo. Vide Ronaldinho, no meio campo ele não rende nem metade do que rende solto na ponta esquerda. Sinto saudade desses jogadores antigos, eles tinham mais personalidade, falavam mais o que pensavam, enfim, era diferente...

 
At 2:25 PM, Blogger Rodolfo Moura said...

Michel,
Gullit era realmente um jogador diferenciado. Aliás, mais do que no Milan, eu gostei do 'Tulipano Nero' na Samp, onde ele jogava, efetivamente, de forma diferenciada. Suas passadas largas e elegantes, culminando com seus fantásticos petardos, eram maravilhosas de se assistir.
Abraços,

 
At 12:54 PM, Anonymous Gílson said...

Gullit foi um craque extraordinário em campo e uma pessoa divertidíssima fora dele. Tive o imenso prazer de vê-lo em ação pelo Chelsea, já quase no final da carreira, atuando como treinador e jogador. Corre a lenda que Berlusconi pediu que Galliani corresse até o vestiário do Camp Nou fechar a contratação do holandês naquele troféu Joan Gamper. Galliani falou disso outro dia em entrevista para a Gazzetta. Mas preferiu deixar a lenda como está... Quando foi demitido do Chelsea, na temporada 1997/1998, a Pizza Hut colocou no ar um comercial com uma música chamada "Rudi, a message to you", de uma interessante banda chamada The Specials, onde convidava o então desempregado Gullit a conhecer suas novas pizzas. Entre seus fãs está José Mourinho, cujo cão se chama Gullit.

 
At 12:04 AM, Blogger Rodolfo Moura said...

Gilson,
Muitíssimo obrigado pela sua participação enriquecedora!
Abraços,

 

Postar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker